• Praias Fluviais de Proença-a-Nova
  • Praias Fluviais de Proença-a-Nova
  • Praias Fluviais de Proença-a-Nova
  • Praias Fluviais de Proença-a-Nova
  • Praias Fluviais de Proença-a-Nova
Exposição Fotográfica de Paulo Santiago

Curriculum Pessoal e Artístico

Paulo Antunes Santiago

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Paulo Antunes Santiago

Paulo Antunes Santiago nasceu em Mação em 1962 mas foi em Proença-a-Nova que cresceu, estudou e optou por exercer a sua actividade profissional. No seu percurso académico frequentou a Escola Primária de Proença-a-Nova, o Externato Diocesano de Proença-a-Nova, o Instituto Vaz Serra em Cernache do Bonjardim, a Escola Secundária de Proença-a-Nova, a Escola Secundária Avelar Brotero em Coimbra e a Escola Superior de Belas-Artes em Lisboa. É licenciado em Design de Equipamento e é professor efectivo de Educação Visual, Artística e Tecnológica na actual Escola E.B. 2,3/S Pedro da Fonseca, profissão que abraçou no Ano Lectivo 1984/85. Com outros colegas foi fundador e coordenador do Jornal Escolar “A Palmatória” e do Clube da Floresta “Os Curtiçolas”. Actualmente é coordenador do Núcleo de Artes, Clube escolar que fundou e tem dinamizado desde 1997.

Ao longo da sua vida tem-se dedicado à organização de diversas actividades desportivas e culturais promovidas por algumas das colectividades locais mais significativas, designadamente os Bombeiros Voluntários, a Associação Desportiva e Cultural e o Núcleo de Juventude do Concelho de Proença-a-Nova, bem como por algumas instituições como a Junta de Freguesia e a Câmara Municipal.

A título pessoal elaborou em 1990 um Projecto para instalação de um Museu Etnográfico na vila de Proença-a-Nova.

Em 1995 elaborou a proposta para criação do símbolo identificativo da Junta de Freguesia de Proença-a-Nova.

De 1990 a 95 colaborou como jornalista no Jornal "Mancha Verde" e em 1996 fundou o jornal "O Cruzeiro da Juventude", do qual foi director até ao último número publicado em 2002.

Em 1997 elaborou uma proposta para instalação de um “Atelier / Oficina de Artes” em Proença-a-Nova. Em 1998 editou a obra "Memorial da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Proença-a-Nova e do Quartel " e em 1999 publicou a obra "O Percurso do Linho".

No decurso da sua actividade artística obteve em 1972 o 2º Prémio Nacional de Pintura no Concurso “Camões” promovido pelo Secretariado da Juventude, em 1988 o Diploma de Mérito pela actividade desenvolvida no âmbito das cadeiras de Anatomia e de Ergonomia conferido pela Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa e em 1998 uma Menção Honrosa no Concurso de Pintura promovido pela "Galeria Artemísia" de Castelo Branco.

Ao nível da fotografia, a sua paixão por esta forma de expressão artística surgiu em 1983 na Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa ao frequentar a cadeira anual de Fotografia, onde aprendeu os fundamentos e as técnicas de captação fotográfica, as técnicas de revelação e de acabamento em laboratório.

Tem uma colecção temática parcialmente classificada de diapositivos e fotografias e da sua colecção pessoal fazem parte alguns milhares de originais com o objectivo de criar um fundo documental fotográfico em Proença-a-Nova.